Itaperi Discos

Por que é importante lembrar de Vanusa?

A Cantora, que faleceu neste domingo (08), foi e continuará sendo inspiração para muita gente! Uma mulher que defendeu as pautas feministas e já dizia que “lugar de mulher é onde ela quiser”, desde o início de sua carreira, muito antes de ser uma frase “comum”.


Nos anos 1970 foi responsável pelo lançamento de vários clássicos da MPB, entre eles: “Manhãs de Setembro”, “Sonhos de um palhaço”, “Paralelas” (de Belchior) e “Mudanças”.


Ao todo, lançou mais de 20 discos. Em seu trabalho de estréia, Vanusa assinou 4 das 12 composições, um feito inédito para a época (1968), pois era raríssimo mulheres intérpretes cantarem suas próprias músicas.


Uma delas, “Negro”, é mais icônica por estar totalmente alinhada a luta antirracista que Martin Luther King era protagonista no mesmo ano de lançamento. “Negro, não lamente nunca mais, na terra todos são iguais”, diz trecho da canção.


Em “Mudanças”, Vanusa declama seu desejo de se livrar da culpa, da submissão e das angústias de ser mulher. Uma música linda e emocionante, assim como toda a discografia da artista. Seu posicionamento e suas canções, lhe renderam o título de primeira cantora feminista do Brasil. Era adorada também pelo público LGBTQIA+ de sua época.



Pela sua obra, forte, bonita, rica e importante! É por isso que Vanusa precisa ser lembrada!

Posts recentes

Ver tudo